Fato Nº 96

A Dança do Sabre de Aram Khachaturian foi destaque em jukeboxes em todo os Estados Unidos em 1948

Um dos problemas em escrever sobre música é a impossibilidade de transmitir em palavras o poder de uma performance orquestral, como as das obras de Aram Khachaturian. No cenário ideal, a Dança do Sabre tocaria agora através dos ouvidos do leitor para introduzir este músico armênio, um dos compositores mais célebres do século XX.

Khachaturian nasceu em 1903 em Tiflis no Império Russo (Tbilisi moderna, Georgia), em uma família armênia originalmente da região de Nakhichevan (um enclave no Azerbaijão hoje). Sua juventude viu o colapso do reinado do czar e da criação do regime soviético, o que lhe chamou a Moscou para continuar sua educação musical e agir como um artista exemplar dentro da ideologia do comunismo. Aram Khachaturian foi posteriormente marcado como o homem que levou a música folk e transformou-a em uma forma mais majestosa, clássica, ainda mantendo a sua acessibilidade às pessoas. Suas obras estão repletas de temas armênios, bem como com elementos musicais do Cáucaso e da Ásia Central tomadas de forma mais ampla. Ele também era conhecido por alguns trabalhos avant-garde – o que talvez possa se chamar de “música de fusão” hoje – como a Dança do Sabre mencionada acima.

Esta e outras partes de seu ballet Gayane, bem como movimentos de Spartacus, outro ballet composto por Khachaturian, compreendem suas obras mais conhecidas, elas se espalharam a partir da fase soviética da década de 1940 e 50 de gravações populares e covers no Ocidente – incluindo nas jukeboxes dos EUA naquela época – sendo usadas em filmes, teatros, anúncios, e cartoons nas décadas que se seguiram até hoje. Khachaturian também compôs música para cinema, e também concertos e trabalhos solo para piano, violoncelo, violino e outros instrumentos.

Ao lado de Sergei Prokofiev e Dmitri Shostakovich, Aram Khachaturian foi o queridinho do mundo da música soviética e na promoção da cultura da URSS no exterior. No entanto, assim como com eles, ele teve de enfrentar a condenação pública oficial do Partido Comunista no final de 1940 (por supostamente compor música “anti-povo”), que durou até a morte de Stalin em 1953 e as revisões de suas políticas. Khachaturian permaneceu popular como compositor, suas obras mais lembradas hoje foram escritas antes deste contratempo.

Aram Khachaturian morreu em Moscou em 1978. Embora tenha vivido e trabalhado na Rússia durante a maior parte de sua vida, Khachaturian é lembrado como uma figura cultural armênia icônica. A capital Yerevan tem uma grande sala de concertos em homenagem a ele, com uma estátua monumental em sua entrada, além de também manter um museu de Aram Khachaturian. Seu corpo foi trazido para a Armênia para o enterro no Panteão Nacional, onde inúmeras figuras públicas têm seu descanso final. A composição de Aram Khachaturian para o hino armênio Soviético também é ainda lembrada como uma peça inspiradora de música; mais de uma vez, na verdade, existiram pedidos públicos para substituir o atual hino nacional armênio com o de Aram – despojado de suas letras da era comunista, é claro.


Referências e Outras Fontes

1. Khachaturian. Peter Rosen/Peter Rosen Productions, 2003. 83 min.
2. Tom Huizenga. “The ‘Sabre Dance’ Man”, NPR, June 5, 2003
3. Aram Khachaturian Museum
4. Virtual Museum of Aram Khachaturian
5. “Monument to Aram Khachaturian to be Erected in Moscow”, Armenpress, October 30, 2006
6. Wikipedia: “Aram Khachaturian
7. Wikipedia: “List of compositions by Aram Khachaturian
8. Wikipedia: “Sabre Dance


Artigo Original

100y100f_096_AramKhachaturian-Grid

Legenda da Imagem

Monumento a Aram Khachturian perto da Casa dos Compositores, em Moscou, pelo escultor russo-armênio Georgiy Frangulyan.


Atribuição e Fonte

Por Anstarrr (Own work) [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons


Fatos Recentes