Fato Nº 23

As primeiras cafeterias europeias foram estabelecidas por armênios

É verdade – café não cresce na Armênia. Nunca cresceu, provavelmente nunca crescerá. As origens dessa bebida, hoje um dos mais valiosos bens de capital do mundo, encontram-se em uma região da Etiópia conhecida como Kaffa. A história diz que um pastor foi surpreendido pelo aumento da energia de seus animais depois que mastigavam os grãos de uma planta. Aqueles grãos, torrados e moídos, processados e bebidos, tinham o mesmo efeito em seres humanos.

Da Etiópia, através do mundo árabe e das terras otomanas, aqueles grãos chegaram às mãos dos comerciantes e mercadores que percorriam as rotas do leste do Oriente Médio e Médio Oriente para a Europa – incluindo armênios, sem dúvida os mais importantes entre eles.

As primeiras casas de café em Viena e em Paris foram abertas por armênios. Johannes Diodato (ou Hovhannes Astvatsatour, traduzindo “dado por Deus” – um nome muito adequado para alguém que foi pioneiro no trato do café, como muitos concordam) liderou o caminho nos territórios dos Habsburgos no final do século XVII, enquanto Pascal abriu a primeira coffee-shop em Paris, em 1672, seguido por outro armênio, Maliban, naquele mesmo ano. A moda armênia estava era usada na decoração das casas de café da época. Há até mesmo um exemplo de um comerciante de café referindo-se a si mesmo como “um armênio naturalizado” em uma peça francesa de 1696.

Há indícios de que as primeiras “coffee-houses” de Londres e Praga foram igualmente estabelecidas por armênios. Os papéis sociais e políticos que esses lugares tinham nos séculos seguintes são refletidos na cultura de café europeia que continua forte até hoje, e é imitada em outros lugares do continente e em todo o mundo.

“Café” e suas variantes, como o “coffe”, “Kaffee”, “qahwa”, “kahve”, ou “kofe”, dominam o nome da bebida em praticamente todos os idiomas, com exceção de dois. Uma delas é a partir do local de nascimento originais da bebida – em amárico, uma língua da Etiópia, onde é chamado de “buna” (que também é a palavra para “grão de café”, em árabe). E o outro é, naturalmente, no armênio, que chama o café de “soorj” ou “soorch” (na pronúncia ocidental e oriental, respectivamente). As origens d a palavra, que data de pelo menos 1787, não são claras. Poderia ser uma corruptela de “choor sev” ou “sev joor”, que significa “água negra”, ou poderia ser o som feito do sorver de uma bebida bem quente.


Referências e Outras Fontes

1. National Coffee Association USA. “The History of Coffee
2. International Coffee Organization. “The Story of Coffee
3. William H. Ukers. All About Coffee. The Tea and Coffee Trade Journal Company, New York, 1922, chapters 10, 11, 32
4. wien.at. “History of Viennese coffee house culture
5. Հրաչեայ Աճառեան. “Սուրճ”. Հայերէն Արմատական Բառարան. Երեւանի Համալսարանի Հրատարակչութիւն, Երեւան, 1926
[Hrachya Ajarian. “Soorch”. Armenian Etymological Root Dictionary. Yerevan University Press, Yerevan, 1926]
digitized by Nayiri.com
6. WordSense.eu Dictionary. “coffee (English)
7. Wikipedia: “Coffeehouse


Artigo Original

100y100f_023_v2-1024x654

Legenda da Imagem

Uma representação do século XVII de uma casa de café em Londres.


Atribuição e Fonte

[Public Domain], via Wikimedia Commons


Fatos Recentes