Fato Nº 63

Mkrdich Cezayirliyan foi um dos empresários mais ricos do Império Otomano no século XIX

O sistema financeiro do Império Otomano iniciou suas conexões com o mercado de ações e com os bancos ocidentais nos anos 1850. Antes disso, era o sarraf, mutuante, que lidava com grandes fortunas em Constantinopla e em outras cidades. Além de cobrar altas taxas de juros nos empréstimos, os sarrafs também eram parte do sistema tributário rural otomano: em uma espécie de leilão, a oferta mais alta dava ao proponente o direito de recolher os impostos, subscrito por um sarraf.

Mkrdich (Mıgırdiç) Cezayirliyan era tanto coletor de impostos rurais quanto sarraf. Nascido em Constantinopla, em 1805, Mkrdich era a quarta geração da família a cuidar de negócios. Os empreendimentos de seu avô na Argélia (al-Jazair em árabe) levaram ao sobrenome Cezayirliyan (pronuncia-se “Jezayirliyan” – “o argelino”). A morte precoce de seu pai fez com que Mkrdich começasse a trabalhar ainda cedo, logo expandindo suas operações como sarraf e coletor de impostos para a supervisão de impostos aduaneiros, reinvestindo seus ganhos em outros negócios.

De fato, como homem de negócios, Cezayirliyan estava à frente de seu tempo. Ele foi um industrial pioneiro no ramo da seda, dando o pontapé inicial nessa área no Império Otomano. Cezayirliyan também financiou uma ponte construída sobre o Chifre de Ouro (uma entrada de água no lado europeu de Constantinopla), outro feito notável naqueles tempos. Cezayirliyan adquiriu várias propriedades, ao mesmo tempo que desenvolvia suas atividades como mutuante, coletor de impostos rurais e alfandegários em um número cada vez maior de portos no Império Otomano.

A quantia astronômica acumulada por Mkrdich Cezayirliyan ficou evidente quando seus bens foram confiscados e ele foi levado preso em 1852. As acusações não são sabidas ao certo, mas o fato de que ele foi alvo de uma investigação é surpreendente, tendo em vista suas conexões políticas poderosas. Afinal, Cezayirliyan pertencia a classe Amira de ricos otomanos que estavam conectados com as mais altas esferas de poder. Ele também era credor de uma lista impressionante de pessoas influentes. Mas isso pode ter sido a razão exata para a sua derrocada – seu sucesso inacreditável e seu papel como sarraf, que era uma instituição que o Império Otomano pretendia eliminar. De fato, os sarrafs foram esmagados após o caso Cezayirliyan e o moderno sistema bancário ao estilo ocidental foi introduzido no país.

Enquanto isso, todavia, Mkrdich Cezayirliyan usou sua riqueza e sua posição como filantropo, especialmente na comunidade armênia de Constantinopla. Ele não só doou à sua alma mater, mas também financiou estudos de armênios no exterior. Obviamente, ele se envolveu com a Igreja Armênia, reorganizando-a, de fato, os arranjos políticos internos do patriarcado armênio.

Uma das propriedades dos Cezayirliyan era uma mansão no Bósforo, no distrito de Yeniköy, projetada por Mıgırdıç Kalfa Çarkyan – um sócio da famosa família de arquitetos armênio-otomanos Balyan – feita em estilo europeu, chegando a empregar trabalhadores da Europa, levados para a obra. A propriedade ainda não estava terminada quando ele foi preso e permaneceu desocupada até 1882, quando o imperador austro-húngaro Francisco José I recebeu a mansão como um presente do Sultão Abdul-Hamid II para ser usada como embaixada. O prédio sedia atualmente o Fórum Cultural Austríaco (Österreichisches Kulturforum).

Após permanecer encarcerado por três anos e passar algum tempo no exterior, Mkrdich Cezayirliyan regressou à cidade e tentou, em vão reclamar sua propriedade e sua fortuna. Ele morreu em Istambul em 1861.


Referências e Outras Fontes

1. Mustafa Erdem Kabadayı. “Mkrdich Cezayirliyan or the Sharp Rise and Sudden Fall of an Ottoman Entrepreneur”, Merchants in the Ottoman Empire (edited by Suraiya Faroqhi and Gilles Veinstein). Peeters, 2008
2. Österreichisches Außenministerium, Österreichisches Kulturforum Istanbul. “Geschichte” (em Alemão)


Artigo Original

100y100f_063_MkrdichCezayirliyan

Legenda da Imagem

Constantinopla por volta de 1870, com uma ponte sobre o Corno de Ouro visto à direita; a ponte que Mkrdich Cezayirliyan fez já havia sido destruída mais de uma década antes de esta foto ser tirada, não se sabe se por acidente ou devido a sabotagem por parte dos concorrentes.


Atribuição e Fonte

[Public Domain], via Wikimedia Commons


Fatos Recentes