Fato Nº 14

O Monte Ararat é um símbolo nacional do povo armênio.

Existem alguns símbolos nacionais que são imediatamente reconhecíveis entre todos os armênios, e o Monte Ararat está entre os primeiros desta lista. É assim que tem sido nos últimos 200 anos ou mais, desde que os avanços russos ao Cáucaso incorporaram oficialmente esta montanha mais alta da região – elevando-se sobre os seus arredores 5.137 metros, ou 16.854 pés.

A primeira escalada documentada ao Monte Ararat ocorreu em 1829, realizada por uma equipe da expedição liderada pelo estudioso alemão Friedrich Parrot, acompanhado por Khachatour Abovian, um nativo educado por ocidentais da área de Yerevan conhecido por suas realizações literárias e por seu trabalho pioneiro em desenvolvimento e educação secular moderna no vernáculo (língua local) dos armênios do Império Russo.

Além do envolvimento de Abovian (e posterior desaparecimento misterioso) e mais tarde por outros, o posse do Monte Ararat pela sociedade armênia foi reforçada ao longo do século XX, quando a montanha ganhou destaque nos brasões de duas Armênias livres e na República Socialista Soviética da Armênia. Ele também é destaque nos nomes e logotipos de inúmeras instituições públicas e empresas privadas do país, desde clubes de futebol a fábricas de aguardente e vinho, além de uma série de expressões na diáspora armênia, seja em uma refeição em Buenos Aires ou uma rua na cidade velha de Jerusalém. (Até o Projeto 100 Anos, 100 Fatos não resistiu e incluiu o Monte Ararat em seu próprio logotipo!)

O lugar do Monte Ararat na cultura armênia, no entanto, remonta uma época muito mais antiga. As montanhas do Ararat são onde a Arca de Noé pousou, de acordo com o livro de Gênesis, dando assim ao Monte Masis – o nome armênio usado juntamente com Ararat – um status sagrado. Um pedaço da Arca de Noé pode ser visto no museu de Etchmiadzin na planície do Ararat. A sede da Igreja Armênia atesta a relíquia de acordo com a tradição de que o St. James de Nisibis escalou e adquiriu o mesmo. A planície do Ararat tem sido, na verdade, o coração da história armênia, sendo a localização de muitas capitais armênias e um grande número de batalhas decisivas.

O que torna o Monte Ararat um símbolo tão forte para os armênios hoje, é o fato de que ele está em território turco – do outro lado da fronteira que foi definido pelo Tratado de Kars de 1921 – mas quase sempre dominando o horizonte da capital Yerevan. Ao mesmo tempo, um número crescente de grupos, incluindo os armênios participaram de escaladas ao Monte Ararat nos últimos anos. Enquanto isso, o pico mais alto da República da Armênia hoje – também uma parte muito importante do ponto de vista do horizonte da capital – é o Monte Aragats, montanha que consiste de um cone vulcânico rodeado por quatro picos, o mais alto com 4.090 metros, ou 13.418 pés.


Referências e Outras Fontes

1. The Eastern Diocese of the Armenian Church of America. “St. James of Nisibis
2. Mount Ararat Expedition. “History, Geographic and climb information of Mount Ararat
3. Artur Papyan. “The Legend of Illuminator’s Lantern”, The Armenian Observer Blog, July 20, 2010
4. Wikipedia: “Mount Ararat


Artigo Original

100y100f_014_MountArarat

Legenda da Imagem

O maior dos dois picos que compõem o Monte Ararat, com o mosteiro de Khor Virap em primeiro plano, na fronteira armênia-turca.


Atribuição e Fonte

por MrAndrew47 [CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons


Fatos Recentes