Fato Nº 1

O Genocídio Armênio começou em 24 de Abril de 1915.

Os massacres sistemáticos e deportações de armênios de suas terras históricas começaram no dia 24 de abril de 1915, por ordem do Império Otomano. Centenas de figuras públicas armênias – políticos, clérigos, educadores, artistas – foram presos e sumariamente executados na capital Constantinopla (Istambul) ou enviados para o exílio. O Genocídio Armênio aconteceu após décadas de discriminações e massacres contra armênios e outras minorias sob o domínio otomano, mais notavelmente o Massacres Hamidianos de 1894-1896, e o Massacre de Adana em 1909.

Usando o disfarce da Primeira Guerra Mundial, as autoridades otomanas submeteram a população cristã nativa (armênios, gregos e povos siríacos) à aniquilação e ao exílio, em uma tentativa de limpar demograficamente a Anatólia e a Ásia Menor de elementos não-muçulmanos. O Genocídio Armênio, assim, pretendia estabelecer um Estado turco etnicamente puro, nacional, removendo os dois milhões de armênios cujas casas ancestrais estendiam-se de Van e Bitlis, Mush e Erzurum no leste até Trabzon, Samsun, e Sivas no norte, para Ancara, Kütahya e Izmir no oeste, para Adana e Marash, e Antep e Urfa no sul, para não falar de inúmeras outras cidades, vilas, aldeias e regiões que abrigavam a população armênia – alguns por séculos, outros por milênios.

A nova Turquia, ao mesmo tempo, minava a cultura dos muitos povos não-turcos que viviam naquele território e os faziam seguir as leis do islamismo : os curdos, alevitas, zazas, abkhaz, circassianos, laz, e outros.

O povo armênio foi desapossado de incontáveis ​​gerações de herança cultural. Mas eles sobreviveram. Eles formaram comunidades organizadas em todo o mundo. Eles mantêm um estado hoje, e eles continuam a rememorar a experiência dos seus antepassados​, na esperança de conquistar o reconhecimento do que continua a ser um dos maiores crimes sem resposta do século XX.

 

 

Quase um século depois, o Projeto 100 Anos, 100 Fatos espera rememorar o Genocídio Armênio de sua própria forma, através da educação e conscientização. Para saber mais sobre este site, visite a seção Sobre o Projeto.


Referências e Outras Fontes

1. Raymond Kévorkian. The Armenian Genocide: A Complete History. I. B. Tauris, 2011
2. Uğur Ümit Üngör. The Making of Modern Turkey: Nation and State in Eastern Anatolia, 1913-1950. Oxford University Press, 2012
3. The Armenian Genocide. Andrew Goldberg/Two Cats Productions, 2006. DVD, 60 min.
4. Wikipedia: “Armenian Genocide”


Artigo Original

100y100f_001_GenocideBegan

Legenda da Imagem

O primeiro monumento criado para rememorar o “11 de Abril” (usando o antigo calendário juliano, que é o atual “24 de Abril” pelo calendário gregoriano moderno) em 1919 no Cemitério Armênio Pangaltı de Istambul, hoje coberto pelo Praça Taksim.


Atribuição e Fonte

Por Teotig [Public domain], via Wikimedia Commons


Fatos Recentes

…e o povo armênio continua a lembrar e pedir justiça

Fato Nº 100

…e o povo armênio continua a lembrar e pedir justiça

…enquanto minorias na Turquia são frequentemente limitadas em suas expressões por políticas de Estado…

Fato Nº 99

...enquanto minorias na Turquia são frequentemente limitadas...

O teleférico mais longo do mundo foi inaugurado na Armênia em 2010

Fato Nº 97

O teleférico mais longo do mundo foi inaugurado na Armênia em 2010